top of page

TEM ALGO DE MUITO ERRADO EM LEOPOLDINA


Enquanto os casos de Covid19 aumentam na cidade, a Prefeitura através de inúmeros decretos, tornou obrigatório o uso de máscaras e restringiu o funcionamento das atividades econômicas, com o intuito de evitar as aglomerações e a consequente disseminação do vírus e da doença pela cidade.

Entretanto, qualquer pessoa que transitou pelo Centro da cidade, na segunda e nesta terça-feira, nunca deve ter visto tanta aglomeração de pessoas como agora. A restrição de atividades, imposta pela Prefeitura, está gerando o efeito inverso, as pessoas estão sendo obrigadas a aguardar atendimento em longas e demoradas filas em Bancos, Casas Lotéricas, Farmácias, Correios e outras lojas da cidade.

O que está acontecendo é fácil de compreender, se uma agência bancária, funcionando de onze as quatro da tarde, ou seja, aberta por cinco horas diárias, atendendo a 500 cientes por dia, ela atenderia a 100 pessoas por hora.


Ao se reduzir o horário de atendimento no horário de dez ao meio dia, portanto duas horas por dia, a mesma agência, no mesmo espaço e com o mesmo pessoal passa a ter que atender 250 clientes por hora, ou seja duas vezes e meia o seu desempenho normal.


É óbvio, que nessa situação, filas enormes e aglomeração de pessoas se formem. O mesmo raciocínio vale para o restante do comércio. Dessa forma, o Decreto de Restrição de Atividades acabou gerando aglomerações de pessoas, ao invés de evitá-las.


O Decreto aumentos o risco para as pessoas que necessitam dos serviços, aqui citados. Essa constatação nos parece óbvia, mas a Prefeitura, ao invés de reconhecer o erro e buscar outras soluções, entende que o problema é a rebeldia do povo, que não acata nem entende o “Fica em Casa” apregoado, dia sim outro também, pela Administração Municipal.

A Prefeitura já passou da hora de entender que ninguém vai para uma fila de Banco, por duas horas, por irresponsabilidade ou por divertimento, as pessoas vão pela mais absoluta necessidade.

A nossa população, na sua grande maioria, não é bancarisada, nem opera os aplicativos de bancos digitais, ela precisa de ir até a sua agência e de ajuda para sacar seus rendimentos. As filas não são de pessoas se divertindo, são de pessoas que necessitam estar ali, expostas ao risco de contaminação, por conta de decisões equivocadas da Administração Municipal, que pelo visto, não circula pelo centro da cidade e se circula finge que não vê o que está acontecendo.


Para agravar a situação, a cidade não conta com caixas 24 horas fora das agências, de tal sorte que mesmo à noite, se pode observar fila nos caixas de autoatendimento.

Estamos publicando junto a este texto, uma série de fotografias, tiradas hoje pela manhã e início da tarde, que expõe, aos incrédulos, a situação a que estão sendo expostos os nossos cidadãos, por conta de erros grosseiros na condução do momento aflitivo em que todos nos encontramos.

Terminando, faço um apelo para que se flexibilize esses horários e aumente as opções de atendimentos nos bancos e no comércio em geral. Nesse dia que recebemos a notícia da contaminação do Presidente da República, espero que a serenidade volte a predominar na administração pública, com mais ação e menos espetáculo midiático.

Chegou a hora de se parar com as trocas de notinhas e entrevistas iradas e cuidarmos efetivamente dos nossos doentes, de testar a população, de isolar os contaminados. É hora de parar de fazer cena política e passarmos a cuidar de quem realmente precisa.


Hozzászólások


bottom of page