top of page

Saúde MG envia Força Estadual a Muriaé para ações de controle do Aedes aegypti

Cerca de 20 agentes de endemias reforçarão as ações no município entre os dias 28/2 a 10/3


Para reduzir os casos relacionados às arboviroses como dengue, chikungunya, zika e febre amarela no município de Muriaé, região da Zona da Mata, a partir de terça-feira (28/2), a Força Estadual da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) intensifica as ações de combate ao Aedes aegypti em parceria com a prefeitura municipal, até 10/3. Cerca de 20 agentes de endemias da Força Estadual irão visitar, cada um, 20 residências por dia, chegando ao número aproximado de 520 domicílios vistoriados nos 13 dias de intensificação das ações. A visita domiciliar acontece em conjunto com os agentes municipais de saúde, e tem como objetivo remover focos do mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya. Os agentes de campo também devem fazer aplicação de larvicida e ações educativas de conscientização junto à população. Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá, Fábio Ribas, o cenário epidemiológico no município apresentou um aumento significativo de casos relacionados aos arbovírus nas últimas quatro semanas.


“A situação geral evidenciou a necessidade do controle nesse período da sazonalidade, principalmente porque a microrregião de Muriaé está com seis, dentre os dez municípios, em alta ou muita alta incidência”, explica Ribas.


Uma das estratégias definidas entre a GRS de Ubá com a Secretaria Municipal da Saúde de Muriaé foi a solicitação da Força Estadual da SES-MG, que tem como objetivo prestar apoio aos municípios mineiros, que apresentam risco elevado para epidemia, evitando assim a ocorrência de óbitos e casos graves.


A Força Estadual atuará em seis eixos: controle vetorial, assistência à saúde, vigilância epidemiológica, assistência farmacêutica, comunicação e mobilização. A equipe de campo ficará na cidade até a segunda semana de março.


As equipes de saúde locais passarão por treinamentos com a SES-MG em controle vetorial, assistência à saúde, vigilância epidemiológica, laboratorial, entomológica para a realização de diagnósticos e construção de plano de ações. Já a mobilização social irá trabalhar com o município junto à população e lideranças locais para conscientização quanto à redução de depósitos de Aedes e evitar a ocorrência de óbitos e os casos graves por arboviroses.

Comments


bottom of page