top of page

Muriaé implanta equipe de Consultório na Rua

Estratégia da Atenção Primária amplia o acesso aos serviços para população em situação de rua


No dia 05/12/22, iniciaram-se, de maneira efetiva, as atividades da primeira equipe de Consultório na Rua do município de Muriaé, pertencente à área de abrangência da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá. A equipe é uma estratégia instituída pela Política Nacional de Atenção Básica e visa ampliar o acesso aos serviços de saúde para população em situação de rua, oferecendo a assistência Sistema Único de Saúde (SUS) de modo itinerante. Dessa forma, as ações buscam atender as pessoas que se encontram em condições de vulnerabilidade e com os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados.


O trabalho da equipe do Consultório na Rua é equivalente ao da equipe Saúde da Família, pois conta com multiprofissionais aptos ao atendimento da Atenção Primária, sendo eles: médico clínico, psicólogo, assistente social, enfermeiro, dois técnicos de enfermagem e um agente de ação social.


“O município disponibilizou uma Van para nos apoiar nas ações e de saúde nas ruas, pois temos que chegar nos territórios para conhecer e cadastrar a população, construir vínculos facilitadores nos processos de cuidado em saúde, dando assistência de acordo com a necessidade de cada um. Estivemos em preparação durante o mês anterior em estudos, treinamentos e alinhamentos de trabalho com a Secretaria de Saúde e Coordenação da Atenção Básica, Epidemiologia, Saúde Mental e Desenvolvimento Social; nos preparando para iniciarmos com bastante entusiasmo e muito trabalho", contou Berta Gonçalves Santana, psicóloga e Referência Técnica da Equipe de Consultório na Rua de Muriaé.


Por ser uma equipe de atenção integral, as atividades do Consultório na Rua abrangem ações como acompanhamento de doenças crônicas, atendendo a pessoas que encontram-se em situação de rua e/ou vivendo em condições vulneráveis.


“Essa estratégia está disponível desde 2011 pelo Ministério da Saúde, e é uma grande satisfação ter Muriaé atuando com este trabalho direcionado a este público. São grandes os desafios, pois a equipe deve estar no território, construir vínculo, diagnosticar o quadro de saúde geral e construir dinâmicas e processos de cuidados que atendam a estas demandas.


Também cabe a ela fazer articulação intersetorial, com serviços prestados pelo SUS e pelo SUAS (Sistema Único de Assistência Social), buscando melhoria na qualidade de vida dos usuários”, explicou Josiel da Silva Ferreira, Referência Técnica em Políticas de Equidade da GRS Ubá.


Conforme os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, podem ter a uma equipe de Consultório de Rua os municípios com população total estimada acima de 100.000 habitantes. Ressalta-se que a responsabilidade pela atenção à saúde da população em situação de rua, como de qualquer outro cidadão, é de todo e qualquer profissional do Sistema Único de Saúde, mesmo que ele não seja componente de uma equipe de Consultório na Rua (eCR). Desta forma, em municípios ou áreas em que não haja eCR, a atenção deverá ser prestada pelas demais modalidades de equipes da Atenção Básica. É importante destacar, ainda, que o cuidado em saúde da população em situação de rua deverá incluir os profissionais de Saúde Bucal e os Nasf do território onde essas pessoas estão concentradas.

Por Keila Lima

Comentarios


bottom of page