top of page

Municípios da Zona da Mata têm incidência muito alta de dengue

Tocantins e Rodeiro estão entre os municípios mineiros com maior índice da doença


Foi divulgada nesta terça-feira (28) nova atualização do boletim epidemiológico da dengue. De acordo com o documento, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), dois municípios da Zona da Mata têm incidência muito alta da doença. Até o momento, a cidade de Tocantins, distante cem quilômetros de Juiz de Fora, tem registrados 232 casos prováveis de dengue. Já o município de Rodeiro, a cerca de 107 quilômetros de Juiz de Fora, registrou 96 prováveis notificações da doença nas primeiras três semanas epidemiológicas de 2020. Os registros colocam os dois municípios, pertencentes à regional de saúde de Ubá, em situação de incidência muito alta para dengue – quando são registrados mais de 500 casos prováveis a cada cem mil habitantes.


O município de Astolfo Dutra, também na Zona da Mata, apresenta incidência média da doença, com 18 casos prováveis. É considerada média incidência quando o município registra índice de 100 a 299 casos prováveis de dengue a cada cem mil habitantes. Apesar de a incidência ainda ser considerada baixa em outras localidades da Zona da Mata, outros municípios vizinhos têm registrado aumento de casos prováveis de dengue. Em Ubá, de acordo com o boletim, até o momento, 46 casos prováveis foram notificados. No município de Visconde do Rio Branco, foram 36.


De acordo com os registros do Estado, Juiz de Fora, até o momento, não registra notificações de dengue.


Força tarefa estadual atua em Tocantins


De acordo com a SES, nesta quarta, o Estado articulou uma força tarefa estadual em Tocantins para ampliar e fortalecer as ações de combate à dengue no município. Conforme a pasta, 13 agentes de endemias estaduais foram deslocados à cidade para auxiliar os profissionais da Prefeitura no trabalho de eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti. A previsão é de que a força-tarefa se estenda até 7 de fevereiro e percorra todos os bairros com visitas domiciliares, retirada de possíveis criadouros do mosquito e mobilização da comunidade.


Minas Gerais


Minas Gerais registrou, em 2020, 4.671 casos prováveis de dengue até o momento. Quanto aos óbitos, em 2019 foram confirmados 173, e outros 98 permanecem em investigação. Em 2020, quatro óbitos que podem ter ocorrido em decorrência da doença permanecem em investigação. Na Zona da Mata, o Estado registrou a primeira suspeita de morte por dengue em Além Paraíba, que também permanece em investigação.


Em relação à chikungunya, em 2020, até o momento, 82 casos prováveis foram notificados, sendo um caso em gestante. Na região, foram registrados casos prováveis da arbovirose em Tocantins (11), Pirapetinga (6), Ubá (4), Rodeiro (1), Recreio (1), Antônio Carlos (1), Rio Pomba (1) e São João Nepomuceno (1).


Já em relação à zika, foram registrados, em Minas, 34 casos, sendo três em gestantes. Na Zona da Mata, os casos prováveis da doença foram registrados nos municípios de Ubá (4), Rio Pomba (1) e Visconde do Rio Branco (1) em 2020.


Fonte: Tribuna de Minas



Commentaires


bottom of page