top of page

Morre em Brasília o leopoldinense Doutor Antônio Lisboa


Faleceu na madrugada deste domingo, 13 de junho de 2021 na cidade de Brasília, o médico pediatra leopoldinense Antônio Márcio Junqueira Lisboa.


Nasceu em Leopoldina, Minas, em 6.01.1927. Filho de Irineu Lisbôa e Cinira Ribeiro Junqueira Lisboa; Curso de Medicina na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil (1945-1950). Interno Oficial da 5a Cadeira de Clínica Médica e Acadêmico da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Presidente das Comissões de Festas do Termômetro e Formatura. Assistente da Cadeira de Pediatria da Faculdade Nacional de Medicina. Em 1951, 1º lugar no concurso para médico da Aeronáutica. Estagio no Walter Reed Hospital, Washington.


De 1967 até 1994, Antonio Lisboa dedicou-se à Universidade de Brasília (UnB). Além de ganhar carta branca para organizar a pediatria do curso de medicina “da forma como acreditava que deveria ser”, ele estruturou a residência médica no Hospital (universitário) de Sobradinho, projeto que ganhou a admiração do mundo.


Com quase um centenário de vida, ele ainda fazia questão de dedicar alguns dias da semana para receber crianças no consultório que montou na casa dele, no Lago Sul.


Além da companhia dos pacientes, doutor Lisboa não abria mão de outra paixão: escrever livros. Ele contabiliza 20 obras e destaca a última: “Cuidando de Crianças”. Já a quantidade de honrarias recebidas no Brasil e em outros países sejam por volta de 100. Preferiu dezenas de conferências que deu mundo afora para contar os feitos na UnB e na residência do Hospital de Sobradinho, que virou modelo para nações como Estados Unidos, França, México e Costa Rica, entre outras.


Membro honorário das academias Nacional de Medicina, da Sociedade Peruana de Pediatria e da Associação Costarriquenha de Pediatria, Antonio Lisboa foi presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria e das academias Brasileira de Pediatria e de Medicina de Brasília. Também foi membro da Academia Leopoldinense de Letras e presidente de honra da Sociedade Pernambucana de Pediatria, além de ter sido aprovado, aos 50 anos de idade, em primeiro lugar no resultado geral do concurso público para a Fundação Hospitalar do DF.


Vivendo 53 anos em Brasília com a segunda esposa (a primeira faleceu vítima de atropelamento) e o amor dos cinco filhos (o último, nascido no DF), doutor Lisboa considerava-se “realizado e gratificado”. “Aqui em Brasília, eu fiz o que queria, o que sonhava em fazer. É por isto que eu digo, com alegria: eu sou daqui!”

Fonte: Informações do Correio Brasiliense/Rádio Jornal Net

Comments


bottom of page