top of page

Estado registra quase 60 casos prováveis de dengue na Zona da Mata e Vertentes

Visconde do Rio Branco foi o município com mais casos da doença entre as regiões. Confira ainda dados sobre a situação das cidades em relação à chikungunya e a zika.


Dezessete cidades da Zona da Mata e Campo das Vertentes registraram, ao todo, 57 casos prováveis de dengue nas últimas quatro semanas. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) nesta terça-feira (10), no primeiro Boletim Epidemiológico do mês de novembro.

De acordo com os dados, Visconde do Rio Branco foi o município com mais notificações durante o período; são 13. Neste levantamento, o Estado informou que continua investigando 13 mortes pela doença nas regiões. Veja abaixo a tabela por cidade.

Desde junho, a SES-MG deixou de divulgar o número de casos acumulados em 2020, optando por publicar apenas os casos registrados nas últimas quatro semanas. Assim, os dados analisados são referentes às semanas epidemiológicas 41, 42, 43 e 44. A publicação anterior levou em consideração as semanas, 39, 40, 41, 42.

Incidência de dengue

Conforme o Boletim do Estado, a taxa de incidência estima o risco de ocorrência da dengue em uma determinada população em intervalo de tempo também determinado e a população exposta ao risco de adquirir a doença.

incidência baixa: menos de 100 casos prováveis por 100.000 habitantes;

incidência média: 100 a 299 casos prováveis por 100.000 habitantes;

incidência alta: de 300 a 499 casos prováveis por 100.000 habitantes;

incidência muito alta: mais de 500 casos prováveis por 100.000 habitantes.

Confira abaixo a situação nas cidades da Zona da Mata e Vertentes nas últimas quatro semanas, além da incidência da doença.

Casos prováveis de dengue nas últimas quatro semanas nas regiões

Cidade Casos prováveis nas últimas 4 semanas Incidência Visconde do Rio Branco 13 - 30,54 (baixa) Ubá 12 - 10,38 (baixa) Cataguases 7 - 9,32 (baixa) Tocantins 5 - 30,1 (baixa) Juiz de Fora 3 - 0,53 (baixa) Leopoldina 3 - 5,70 (baixa) Rio Pomba 3 - 16,75 (baixa) São João Nepomuceno 2 - 7,59 (baixa) Barroso 1 - 4,81 (baixa) Dona Euzébia 1 - 15,22 (baixa) Guiricema 1 - 11,92 (baixa) Muriaé 1 - 0,92 (baixa) Piraúba 1 - 9,27 (baixa) Santa Cruz de Minas 1 - 11,62 (baixa) São João del Rei 1 - 1,11 (baixa) Senador Firmino 1 - 12,80 (baixa) Viçosa 1 - 1,27 (baixa) Total dos casos prováveis 57

Fonte: SES-MG


Chikungunya e zika


Nas últimas quatro semanas, Espera Feliz e Pirapetinga registraram um caso provável, cada, de chikungunya e contabilizam uma incidência de 4,01, e 9,30, respectivamente.


Conforme os dados, nenhum município das regiões teve notificações de zika.


Minas Gerais


Em 2020, até o momento, Minas Gerais registrou 82.328 casos prováveis. Desse total, 56.720 notificações foram confirmadas para a doença. Quanto aos óbitos, são 12 confirmados. Outros 57 estão em investigação.


Em relação à chikungunya, foram contabilizados 2.550 casos prováveis da doença no Estado. Destes, 1.461 foram confirmados e três óbitos em investigação. Já a zika, 135 pessoas contraíram a doença em Minas Gerais.

bottom of page