top of page

Diocese de Leopoldina celebra a Semana Santa


Com a suspensão das missas e o isolamento social, muitos fiéis têm acompanhado as celebrações pelos veículos de comunicação e redes sociais, no entanto, a presença física do sacerdote, as atividades na Igreja matriz e comunidades fazem falta no cotidiano da população, que rezam pedindo o fim deste momento conturbado que estamos vivendo.


Na abertura da Semana Santa, não aconteceram as tradicionais procissões da abertura solene do Domingo de Ramos, no entanto, gestos levaram alegria e esperança ao Povo de Deus, que enfeitaram as casas com ramos, tecidos vermelhos e a cruz, expressando sua fé e devoção.


Vários padres em toda a região promoveram formas de levar a Palavra de Deus às comunidades, seja através de mensagens, das transmissões ao vivo pelas redes sociais, pelos veículos de comunicação e até mesmo telefonemas para os paroquianos. Outra forma foi a de sair pelas ruas das cidades, geralmente em cima de caminhonetes, levando uma mensagem de esperança e confortando o coração de todos os que sofrem neste momento.


Em Leopoldina, na Capela Santa Terezinha, localizada no interior da residência episcopal, o bispo diocesano dom Edson Oriolo presidiu no dia 5 de abril a Solenidade de Domingo de Ramos, que reflete sobre o dia da entrada de Cristo em Jerusalém, onde Ele foi aclamado por uma multidão. A Missa foi transmitida ao vivo pela página da Diocese de Leopoldina no Facebook.


Em sua homilia, destacou que a Semana Santa é uma oportunidade para viver os mistérios de Jesus, Sua Vida, Obra, Paixão, Morte e Ressurreição, sendo uma experiência do Encontro com Cristo. Dom Edson citou como referência o Documento de Aparecida (2007), da V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe, convocada pelo Papa João Paulo II e confirmada pelo Papa Bento XVI, que traz, entre outras questões, a experiência do Encontro com Cristo. Ele também mencionou o Papa Paulo VI que, neste contexto, dizia duas maneiras importantes deste Encontro: a Palavra e Eucaristia.


Em outro momento, falou sobre as famílias, dizendo ser um santuário da vida, onde são aprendidos os valores, caráter e a personalidade. Destacou a importância do louvor em unidade, fazendo a experiência do encontro com Cristo. “Muitos de vocês colocaram ramos e uma cruz nas portas de suas casas, apartamentos e repartições públicas. Isso é mostrar que temos fé, que somos unidos, que confiamos na Graça, na bondade, no carinho do Próprio Cristo. Que esse sentimento possa reinar na vida de cada um de nós, para valorizarmos a família como sendo um grande presente que recebemos”, comentou.

Fonte: Diocese de Leopoldina

bottom of page