top of page

Cemitério em que mulher foi encontrada enterrada viva está parcialmente interditado

Prefeitura admite invasões


Após o resgate de uma mulher de 36 anos, encontrada viva dentro de um túmulo no Cemitério Municipal de Visconde do Rio Branco, na região da Zona da Mata de Minas Gerais, a segurança do local tem sido questionada. A Prefeitura, responsável pelo espaço, admitiu que aumentou a segurança nos últimos meses, mas invasões continuam ocorrendo.


De acordo com a Administração Municipal, a maioria dos invasores são usuários de drogas e o cemitério tem vigias durante todas as madrugadas. No entanto, a Prefeitura reconheceu que o local onde a mulher foi encontrada precisa de uma reforma geral e já foi licitada. As obras de manutenção começarão nos próximos dias.


A mulher foi encontrada na terça-feira por coveiros, que chegaram para trabalhar e notaram sangue e a estrutura fechada com cimento fresco. Segundo relatos da mulher à Polícia Militar, o crime foi cometido devido ao "extravio" de drogas e armas que estavam com ela.


A Polícia Civil também confirmou a motivação, ao apontar desacerto referente a uma arma de fogo. Ela foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e conduzida ao Hospital São João Batista.


Cemitério Municipal de Visconde do Rio Branco — Foto: Reprodução/Google Maps

Comments


bottom of page