top of page

Aumento do transporte para os distritos ficou muito acima da inflação dos últimos 3 anos


O IPCA, o índice que mede a inflação oficial brasileira, foi de 0,19% em julho deste ano e de 0,11% e em agosto, sendo que o acumulado nos últimos doze meses foi de 3,43%. Em 2018, o mesmo índice alcançou 3,75% e em 2017 foi de 2,95%. Em tempos de inflação tão baixa e por um período tão longo a Prefeitura de Leopoldina, por meio de Decreto que entra em vigor no próximo dia 24 de novembro, concedeu um aumento para as passagens de ônibus no Município de 20%, isso mesmo, 20% que vem a ser o dobro da inflação total dos últimos três anos.

A pergunta que fica no ar foi, de onde a Prefeitura tirou esse índice de aumento? Os preços dos combustíveis têm oscilado, mas tem se mantido em patamares próximos da inflação, os salários mal conseguem repor a inflação, em tempos de grande desemprego não há espaço para reajustes com ganhos reais. Como um aumento tão grande com uma inflação tão baixa e com uma economia estagnada? Não vemos uma explicação racional para tal atitude. O Decreto que autoriza o aumento não explica o índice nem a razão para sua adoção. Entende a Prefeitura que não deve essa explicação e que cabe aos cidadãos pagar sem reclamar.

Vamos ver se a Câmara antes de começar os festejos natalinos se interesse pelo bolso do contribuinte e trate de elucidar esse assunto, sob o risco de a população entender que esse aumento faz parte das artes e manhãs do próximo ano eleitoral. Nunca é demais lembrar que o povo está nas ruas no Chile, há mais dois meses, por conta de um aumento de 0,43 centavos. Não cometam o erro de acreditar na passividade do povo.

Os usuários passarão a pagar os seguintes valores:

Leopoldina x Tebas – R$ 3,50;

Leopoldina x Arrasta Couro – R$ 3,75;

Leopoldina x Ribeiro Junqueira – R$ 5,45;

Leopoldina x Piacatuba – R$ 5,45;

Leopoldina x Vista Alegre – R$ 5,10;

Leopoldina x Providência – R$ 5,55.



Comments


bottom of page